Skip to content

Categoria: Emagrecimento

Creatina – o que é, e pra que serve?

Já é do conhecimento das leitoras mais antigas que eu me submeti a cirurgia bariátrica ha 6 anos atrás, e eu dividi tudo com vocês aqui no blog. Acontece que, eu emagreci tanto com a cirurgia, que eu fiquei só o couro e o osso. Vocês me entendem né? Fiquei muito magra, pouca, sem bunda, sem perna, sem sal, sem vida. Pra quem achava lindo pernona, bundona, foi uma deprê perder tudo junto com a gordura do corpo. Ficou tudo molenga!

Depois de anos seguindo a dieta da nutricionista da equipe da redução de estômago, resolvi que era uma boa hora para dar um passo maior, pois meu peso não mudava, e eu só emagrecia. Então resolvi ir a um nutricionista esportivo. Como já estava na academia com um personal ( Alô Dieguete!) bem exigente, ele identificou que o meu problema era a alimentação, e me mandou procurar um nutri.

Depois de um tempo seguindo a dieta do nutri, identifiquei alguns probleminhas que deveriam ser resolvidos. Um deles era “quero hipertrofiar, mas não consigo fazer a série toda com peso tal, o que eu faço?“. Foi ai que eu tive meu primeiro contato com a Creatina. A que eu estou tomando atualmente é a Creatina MAXX da Maxinutri.

Como não sou expert, nem habilitada para falar sobre isso, vou falar da forma que eu sei, e que conversei com meu nutricionista. A creatina serve para aumentar a disponibilidade de energia para nossos treinos, principalmente aqueles que envolvem força e contrações intensas, como a musculação. Ou seja, a creatina permite que você tenha um treino mais intenso e com maior volume, ao mesmo tempo em que encurta a recuperação entre as séries e entre os treinos. Viu que delicia? Esmaga que cresce!

Pra finalizar o post mais concreto, podemos dizer que a creatina promove o aumento da massa muscular, melhora a força máxima, melhora o desempenho durante o exercício de alta intensidade, acelera a recuperação e aumenta o pump muscular.
NÃO TOME O SUPLEMENTO SEM ANTES CONSULTAR UM NUTRICIONISTA. 
Leave a Comment

Reeducação Alimentar, e os alimentos que me ajudam a levar a vida “leve”

Foto de um sanduíche de mato qualquer da internet

Olá tchucos, depois de vários “inboxs” na page do blog, no meu facebook pessoal, e até alguns emails perguntando sobre “minha dieta”, vim conversar um pouquinho com vocês sobre isso hoje.

Acho que todos sabem que fiz a cirurgia bariátrica (redução de estômago) há dois anos e meio atrás. Eu pesava 130KG, e perdi com ação da cirurgia 40kg, mas eu ainda fiquei com 90kg, como proceder? Depois de um ano, o estômago de uma pessoa que se submeteu a cirurgia, ele alarga. Você passa a conseguir ingerir mais comida que antes. Quem aguentava meio carioquinha como eu, hoje come um inteiro. Sacaram né? E quanto a fome, isso é comum demais. Não é porque estamos com o estomago menor, que não iremos sentir fome. Sentimos sim, até mais do que você que não foi operado. O porque disso, é que nosso intestino ele digere tudo mais rápido. Ai está um dos motivos para não comer direto porcarias.

Mas antes de falar dos alimentos que me ajudaram na reeducação alimentar, que deve ser a curiosidade de todo mundo, você precisa entender o meu pensamento sobre dieta e reeducação alimentar. Pesquisando na internet, dieta é um regime alimentar prescrito pelo médico a um doente ou a um convalescente. O que é convalescente, é quem está se recuperando de alguma doença, ou seja, período em que segue uma doença, até a recuperação completa da saúde. Mas e reeducação alimentar? Pra mim, reeducação alimentar, o famoso #RA tão falado das fitness, é a melhor forma de emagrecer sem correr o risco de engordar novamente. Mas porque? É se alimentar de forma saudável, na medida certa, criar bons hábitos alimentares.

Odeio quando posto foto de um lindo cappuccino, ou de um bolo delicioso, e as pessoas comentam “Mas e a dieta”? Dá vontade de responder bem grossa não é? É muito chato ter alguém que fique te vigiando, como se não bastasse a sua própria consciência todo o tempo te alertando sobre seus novos hábitos. Reeducação Alimentar não é deixar de comer o que você gosta, mas fazer uma troca, é comer em menor quantidade, esporadicamente, raramente…quase nunca. Entenderam?

Tive todo um acompanhamento nutricional depois da bariátrica, mas depois não fui mais, nem sei porque. Mas nessas consultas eu perguntava tudinho para minha nutricionista. E eu vou falar agora dos alimentos que me ajudaram na reeducação alimentar! 

Tapioca

Quem não gosta de tapioca? Gente, por favor. No começo eu troquei o pão pela tapioca, e foi a época que eu mais deu certo. A tapioca é mais saudável que o pão porque não tem o tal do famosinho “glúten”. O Glúten é aquele que é responsável pela formação de gordurinhas, e pelo aumento do nosso amado peso durante o processo de digestão. Além do que, ele libera substâncias inflamatórias, que podem produzir colesterol e desencadear vários tipos de complicações. Consumir tapioca é benéfico sim, mas cuidado com o excesso e com os recheios. Não adianta você fazer uma tapioca e encher de nutella e morango. Não dá tá amiga? Ou só comer tapioca o dia todo haaha, o exagero prejudica. Pode engordar, e também trazer problemas para o intestino. Eu pelo menos tive prisão de ventre. Comia 2x ao dia, então, agora como somente uma vez, de preferência no jantar, me deixa mais saciada. Coloco manteiga light, e uma ricotinha. Fica supimpa. Minha nutricionista já tinha falado dela pra mim, mas confesso que só senti vontade de incluir na reeducação alimentar quando a Carlinha do blog Equilíbrio Sempre, postava todo dia a foto da dela falando dos benefícios.

Pão Integral

Tudo bem que tem textura de sola velha, e gosto de palha, mas o pão integral ajuda demais. Primeiro você tem que entender que precisa tomar café da manhã todo santo dia. Pular refeições é prejudicial para sua reeducação alimentar. A sola com gosto de palha, digo, o pão integral, tem vitaminas e minerais mega importantes funcionamento do nosso organismo. Vitamina B1, B2, E, e mais, cálcio, magnésio e outros por ai. Mas, o mais importante que eu acho, é a presença de muuuuita fibra, o que ajuda no funcionamento intestinal, já que eu tenho muita prisão de ventre, ain. O pão branco engorda muito, pois é feito de farinha refinada. FUJA PARA AS COLINAS. Mas Karllinha, pão integral não deixa de ser pão, quem quer emagrecer tem que deixar de comer pão. Bom, segundo minha nutricionista, quem precisa emagrecer tem que pensar no todo. Não precisa abandonar o coitadinho do pão, mas reduzir a quantidade que ingere. E não tem problema nenhuma comer um carioquinha de manhã tá? Desde que você fique mais 30 minutos na esteira para queimar a gordurinha. O pão integral entra como uma opção saudável. Comer pão, saciar, e trazer benefícios com menos calorias.

Salada 

Esse  parceiro não agrada à todos, mas é essencial. Tem gente que não suporta nem ver o alface queridinho. Mas uma coisa que tenho feito, é encher meu prato de alface e tomate, e no cantinho ao lado duas colheres de sopa de arroz. Sim!! Duas colheres. Como arroz só pra dizer que comi, mas devoro a salada. Salada é ótimo porque, é leve, são ricas em fibras, vitaminas e minerais. E ajuda no funcionamento do intestino (prisão de ventre, ain de novo), além de lotarmos nosso corpitcho de antioxidantes e nutrientes que melhoram as unhas, a pele, o cabelo também. Geralmente quando não como com arroz, como com uma concha de feijão, sempre preferindo carnes grelhadas ou cozidas. E claro, sem encharcar de azeite, porque ele também é gordura queridas. Já que muitas das meninas não fizeram redução, mas procuram uma vida saudável, eu aconselho a comer a salada, antes do prato principal, assim você come pouco depois. É uma técnica válida.

Cuscuz

Eu simplesmente amo cuscuz, como uma boa nordestina. E minha preocupação, era minha nutricionista cortar isso depois da redução. Mas quando eu perguntei a ela sobre o bendito gostosinho, sabe o que ela disse? É o carboidrato que emagrece. Meus olhos quase se encheram de lágrimas, estilo novela mexicana mesmo sabe? A base do cuscuz é o que? MILHO. Um tipo de cereal dos tempos das cavernas ( huahauahuahau sim é) que é rico em carboidratos. Por esse motivo, o meu queridinho divo “mor” é uma perfeita fonte de energia, tem fibras (mais intestino urru),  vitamina b1, e vitamina A, além de dar saciedade maior. Uma xícara de cuscuz tem em média 170 calorias segundo minha nutri, que é baixo se comparado a uma xícara de arroz que tem 200 e lá vai bengalada. E também com o detalhe que ela me contou que, ao ser cozido, os floquinhos de milhos são hidratados, e acabam ocupando mais espaço, 100g se tornam sei lá, 100 calorias? É bom também pra quem é do #BondeDaMaromba, isso mesmo! Pra quem gosta de treinar pesado na academia, e quer ficar MONSTRÃO, mas não curte tomar esses whey. É bom pra ganho de massa magra, entra no pré-treino, comer uma hora antes, ou no pós-treino, sempre aliado a uma fonte de proteína (tipo com “flango”, mas sem “catupily”). Pra quem quer emagrecer também como euzinha aqui, pode substituir o pão. Como eu não janto comida pesada, ele pode ser um perfeito jantar, com um queijinho magro assadinho, ou substituir o arroz (em João Pessoa alguns restaurantes servem cuscuz ao invés de arroz, eu curti). Sem exageros também tá?  Não pode sair pegando cuscuz e misturando com requeijão e “flango”, e salame, e essas coisas tudo, porque vai engordar amiga, te controla!

Bom, espero que tenha ajudado vocês com esse post. Não sigo mais dietas, apenas troquei alguns alimentos, e agora como de forma  mais saudável, e correta. Alimentos que vão suprir as necessidades do meu corpo. Ninguém está pedindo pra você deixar de comer seu brigadeiro amiga, mas comer brigadeiro todo dia vai te engordar. Assim como aquele trivial que já sabemos, doces, massas brancas, refrigerantes. Eu mesmo final de semana passada comi um brigadeirinho com meu boy. Ué, se eu como certinho, os alimentos certos todos os dias, sem exageros, tu acha que um brigadeiro vai me engordar? Dá licença criatura, beijo…..

Leave a Comment