Skip to content

É preciso passar pelo sofrimento

E então você conhece alguém. Alguém que te mostrou uma visão diferente de algumas coisas. Parecia ser tudo tão perfeito, surreal. Como tudo que sonhamos inconscientemente, mas nunca acreditamos que possa acontecer um dia. Um cara dito perfeito. 

E de repente em uma cidade distante da sua, com poucos amigos, num domingo ensolarado de clima frio, o dia perfeito para como de costume ir tomar um cappuccino na melhor cafeteria da cidade. Mas o dia se transforma em nebuloso, a cidade espera uma tempestade. Vocês brigam. Ele realmente mostra quem é, quem sempre foi, e vocês terminam. Não pensa duas vezes, sai com a roupa do corpo, pega o primeiro ônibus em direção à estação de metrô mais próxima. Mas fica lá, observando o vai e vem na estação, porque saiu apressada demais e não sabia pra onde realmente deveria ir.

Esqueceu o casaco em casa, naquela chuva, naquele frio, estava sozinha na cidade cinza, no labirinto místico, onde os grafites gritavam. Embora não tivesse levado os fones, mentalmente ouvia Criolo cantar baixinho na cabeça “Não existe amor em sp”. A angustia tomava conta de si, estava realmente sozinha. Cansou de olhar, sentou em um dos bancos da estação e chorou, chorou, chorou. Pegou o trem, desceu na paulista, e foi até um dos bares que mais amava. E foi entre copos que escreveu palavras de agradecimentos ao prêmio que acabara de ganhar, e treinava  seu discurso de derrotada repetindo mentalmente “Parabéns, o prêmio de maior decepção do ano vai para mim. Parabéns por ter sido tão cega”.

E sofreu. Mas também aprendeu. O nosso coração é como um baú, pouco dura a dor que termina em lágrimas, e muito longo é o período em que o sofrimento permanece no coração. Então pra que guardar? Todos merecem passar pelo luto, pelo sofrimento, pela a dor despedaçante que rasga o peito. É com essa dor que mais aprendemos, nada é em vão. Se for preciso, grite, bata nas paredes, caia no chão chorando desesperadamente como uma atriz de novela mexicana, beba, faça cena. Isso se chama processo de esvaziamento, ou purificação. 

Não dê ouvidos às pessoas. Quase sempre elas lhe dirão que “não vale a pena, você é uma fraca, vá a alguma festa, beije alguém diferente” e coisas do tipo.  Você precisa ficar SOZINHA! Você precisa do sua purificação, se esvaziar. Carrego sempre uma frase comigo de uma trilogia que amo, Senhor dos Anéis, que diz assim “Não existe triunfo sem perda, não há vitória sem sofrimento, não há liberdade sem sacrifício”. O que me ajudou, e sempre vai percorrer muitos caminhos comigo.

A frase é de simples compreensão. Pra você ter sucesso, você precisa perder algumas coisas. Não há vitória sem sofrimento, porque sim! Você precisa sofrer para ter a vitória desejada ao final, e como prêmio supremo fazer sacríficos para ter liberdade. Viveremos de perdas, sofrimentos, e sacrifícios. É óbvio que vai existir o momento de pedir socorro, o momento de desabafar, de sair do fundo do poço. Mas antes, sofra. Fique recluso, é importante reconhecer a dor e aprender com ela, além der enfrentar ela sem atuação, sem sorrir e dizer que está bem, estando despedaçado por dentro. Deixe o sofrimento vazar pelo corpo, olhos, nariz, boca, sem pudor nenhum. Fuja do foco, não comente detalhes, não suba ao palco. Disfarçar a dor é dor ainda maior.

 Ok, tristeza não tem benefícios nenhum para a saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando nos calamos que melhor conversamos com nossos botões, com nós mesmos, com nosso interior. E dessa conversa sai luz, lições, sinais, e a tristeza e o sofrimento acaba saindo também, dando espaço para uma alegria nova e restaurada. Triste é não sentir nada. Lembre-se sempre que do sofrimento que emergiram os espíritos mais fortes, as personalidades mais sólidas marcadas com cicatrizes, e não importa a intensidade que você chorou, e sim o quanto essas lágrimas contribuíram para o seu amadurecimento.

É uma etapa que pode ser demorada, ou não. Mas quando estiver pronta novamente, você vai ver, que vai aparecer alguém bem melhor. Quem sabe com lindos olhos castanhos, sorriso encantador, 1,93 de altura, barbudo, com cara de mau e falando irado demais. E você vai dizer “ainda bem”! Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas. E ele.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *