Skip to content

Tag: cabelo cacheado

Um 2016 sem químicas pesadas no cabelo

Você está vendo essa foto, mas não consegue assimilar com a minha pessoa né? Como assim, cadê a franjinha? Tá aqui, mas penteei ela toda pra cima!

Faz uns  3 meses que fiz minha ultima escova inteligente no salão de uma amiga. Amo minha franjinha, meu cabelo lisinho, fica lindo, super amo. Mas por esses dias, antes do réveillon, fui de ferias pra praia, e tomei banho de piscina. Meu cabelo não ficou enroladão, mas ondulou, e quando me dei conta… estava escovando meu cabelo do banheiro da pousada pra só depois sair pra comer, e aproveitar a cidade.

Naquele momento, me senti escrava da escova. Mas é lógico que esses tipos de alisamento são temporários, e minha raiz já estava feia, e enorme. Pra domar o cabelo, só escovando ele bonitinho. Acontece que com o calor, maresia, suor (que a primeira vítima é o pescoço e a franja), tudo enrola! Super normal isso não?

Comecei a conversar com uma amiga sobre isso, e ela me perguntou “como era seu cabelo”? E eu? Não consegui responder, real oficial. Faz tanto tempo que eu faço alisamento, que eu nem lembro de como sou ao natural. E aquilo me deixou mega mal. Foi quando eu decidi uma das metas mais complicadas de 2016: não colocar nenhuma química no cabelo, a não ser minha linda cor ruiva. Quero saber como é meu cabelo de verdade.

Gente, não estou abolindo a escova e chapinha da minha vida. Só não quero por alisantes pesados no cabelo. Durante todo esse tempo, super notei que meu cabelo por muitos anos nunca cresceu o suficiente. Mas porque? O pouco que ele crescia, eu alisava  e pintava. Nisso, as pontas já estavam estragadas e precisava tirar. O resultado é que faz muitos anos que não sei como é ter o cabelo que eu tinha com 15 anos (na cintura).

Meu problema maior é: não ser refém de algo entende? Não quero ter limitações. Quero ir pra piscina e tomar banho, quero ir pra praia e tomar banho, quero pegar chuva e não me preocupar, coisas bobas. Isso é libertador. E claro, obviamente pode acontecer de não conseguir me adaptar, ou não conseguir cuidar. Mas ai é uma outra história, não pra agora, eu vou atualizando vocês por aqui. 😉

Leave a Comment